OPEN CALL ABERTA 1 a 10 de Julho! 

Speed Residency & Stream


O Lisboa Incomum anuncia uma chamada aberta de propostas musicais para o projecto ‘Speed Residency & Stream’, que decorrerá entre os meses de Agosto e Setembro de 2020. .
O projeto assenta sobre três eixos:
- A criação de novas obras, performances ou interpretações através da realização de curtas residências artísticas com a duração de dois dias no espaço Lisboa Incomum;
- A produção de uma apresentação pública em livestream do trabalho realizado em residência com apoio técnico e logístico da equipa;
- A difusão digital da nova criação e do trabalho do/a artista ou colectivo através de uma plataforma centralizada no YouTube do Lisboa Incomum, possibilitando o acesso posterior à gravação e outros materiais de divulgação realizados durante a residência.
Serão selecionados oito projectos cuja remuneração será de €750,00 por projecto.
Os projectos podem ser apresentados por artistas em nome individual ou por colectivos.
O alojamento dos artistas não está incluído.
O processo de seleção dos projectos será realizado através de uma chamada aberta de propostas, estando a selecção à responsabilidade do seguinte comité:
- Jaime Reis, compositor, fundador do Lisboa Incomum e professor na Escola Superior de Música de Lisboa;
- Ricardo Pinheiro, guitarrista jazz e professor na Escola Superior de Música de Lisboa;
- Luís Pacheco Cunha, violinista e professor na Escola Artística de Música do Conservatório Nacional;
- António Sousa Dias, compositor e professor na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.
Para submeter a candidatura, aceder a:
https://forms.gle/XCJmisoUisS6jznS7
Para esclarecer questões, contactar:
[email protected]
*__*
Sobre o Lisboa Incomum
O Lisboa Incomum, fundado em 2017 pelo compositor Jaime Reis, opera como plataforma transdisciplinar para experimentalismo e criações musicais, investigação e educação, acolhendo regularmente o Festival DME – Dias de Música Electroacústica. O cerne da sua produção prende-se com práticas artísticas e musicais incomuns, abertas à comunidade.
Recursos técnicos:
O Lisboa Incomum dispõe de um piano Yamaha G3, no entanto, não dispõe de qualquer outro instrumento. Dispõe de recursos electroacústicos para difusão multicanal até octofonia. Caso haja necessidade de intérprete para electrónica (ex: processamento em tempo-real, etc.), este deve estar previsto no colectivo que se candidata.

Com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa - Fundo de Emergência Social - Cultura


Popular Posts